terça-feira, 26 de agosto de 2014

Você.

- Nossa...
- O que foi?
- Você.
- Eu? O que tem eu?
- É que...
- Fala, estou começando a ficar assustado.
- Não, não é pra assustar. É coisa boa. Você gosta de coisas boas, não gosta?
- Gosto. Anda, fala logo, você tá me enrolando.
- Estou não. O que eu quero dizer é que eu me sinto incrivelmente bem quando falo com você.
- Você poderia ter sido mais direto. Teria me assustado menos. Jurei que você iria dizer o contrário.
- Nunca. Se eu tirasse um dia de folga, eu gostaria de passa-lo inteirinho ouvindo você me contar suas histórias. Não tem nada que me deixe mais feliz do que isso.
- Isso o quê?
- Isso tudo. Nós dois.
- É engraçado, não é?
- Nós dois?
- Não. A vida. Me colocar no teu caminho e vice-versa.
- Vice-versa... Com a gente é vice-versa, não é?
- Claro que é.
- Eu sei. Tinha certeza que era.

-

- Tá tarde... eu tenho que ir.
- Mas já? Tá cedo.
- Não, já são mais de onze da noite. Amanhã a gente trabalha cedo.
- É. Que pena.
- Mas amanhã eu volto.
- Volta?
- Volto.
- Promete?
- Prometo!

Um comentário:

  1. Dialogo simples. Daqueles sobre esta perto.

    Boa tarde, abraços.

    ResponderExcluir